Inicio

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Imagens do sensacionalismo no impresso

O Jornalismo Sensacionalista vem ganhando cada vez mais espaço nas midias. Aqui no Pará o espaço é visivel, tanto nos impressos quanto no televisivo.
Os jornais impressos locais vem banalizando cada vez mais a questão da violência, ganhando espaço imagens com muito sangue e com a vitima estirada no chão, quando se trata de bandido a imagem é mais valorizada quando ele está bem, perto da "vala".
O Jornal Amazônia é o que mais se destaca nesse quesito, sangue. É caracterizado como um jornal Popular, que busca o interesse do seu público alvo, pessoas pertencentes das classes B, C e D.
Suas manchetes sempre com linguagem coloquial, com bastante girias, e com fotos de mulheres semi nuas e bandidos baleados e ensanguentados.

Parece que a moda dos ensanguentados vai acabar. Um acórdão da desembargadora Eliana Abufaiad decretou a proibição aos jornais de Belém de publicarem fotos de mortes violentas.

Um trecho do acórdão diz: LIMITES. EXPOSIÇÃO EM JORNAIS IMPRESSOS DE FOTOGRAFIAS E IMAGENS EM DESTAQUES DE PESSOAS VÍTIMAS DE ACIDENTES, ASSASSINADAS E DEMAIS MORTES BRUTAIS. VIOLAÇÃO DA INTIMIDADE, DA HONRA E DA IMAGEM. INFRINGÊNCIA À DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA. DESRESPEITO AOS MORTOS. COLISÃO ENTRE DIREITOS FUNDAMENTAIS.
Será esse será o fim dos jornais impressos que aderem ao jornalismo sangrento, que retratam a realidade como se fosse um filme holiodiano? Acredito que não, pois se formos ver a capa de hoje, 24 de maio de 2011, o jornal ilustra um jovem estirado no chão, perto da vala, com o corpo ensanguentado.
É melhor que os editores e reporter fiquem atento com o que colocam nos jornais, pois ainda segundo a desembargadora Eliana haverá um custo, bem caro, para aqueles que descumprirem a medida.

 Para o caso de descumprimento da medida, arbitro multa diária no valor de 5.000,00 (cinco mil reais) para cada empresa que vier a publicar fotos e/ou imagens em desrespeito à determinação constante nessa decisão judicial.

4 comentários:

  1. Concordo com tudo o que foi dito no Blog. Certa vez na academia do curso de minha graduação em Direito realizaei um trabalho intitulado banalização da violência. Percebemos que uma das piores e mais frequentes causas do aumento da violência é sua própria banalização pelas mídias que se dizem tão preocupadas com o bem comum e afirmam querer denunciar a mesma. Mas o que ocorre é exatamente o oposto, visto que acabam por estimular a violência. Isto é, as pessoas não se sentem mais chocadas com a violência mostrada de forma exagerada, então acabam por "se acostomarem" e numa situação extraordinária acabam por praticá-la, pois a mesma já está no seu subconsciente. Então dou todo o apoio a esta Monografia de conclusão de graduação pela tão louvável preocupação com este tema que é de interesse público.

    ResponderExcluir
  2. Kauanne Oliveira31 de maio de 2011 10:52

    O pior é que isso acontece porque tem gente que compra... Enquanto houver consumo, haverá produto.

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente com todas as citações do blog, isto é, o Eder Mauro adora ibope e a mídia dá pra ele.

    ResponderExcluir
  4. Agora me diz Luiza, qual delegado, policial não iria querer a midia sempre ao seu lado, para assim mostrar que ele faz o seu trabalho? Essa é uma maneira de fortalecer a policia, mas como tudo na vida, há suas consequencias...........

    ResponderExcluir